28 de maio de 2018

Todo vez que ele me beijava seu rosto desaparecia


Esse sonho é indecifrável. Eu sei quem é ele, eu o vejo, mas por que quando ele me beija seu rosto desaparece? Não estou entendo as regras, eu acionei o meu inconsciente de alguma maneira pelo qual o único momento em que ele está consciente são nos meus sonhos. Como ele pode estar consciente nos meus sonhos? Como ele faz isso? Eu só sinto suas mãos acariciando meus seios, enquanto me beija, fico excitada e acordo num lampejo silencioso desesperado. Ele disse: oi, me dá um beijo? E eu o beijei. No primeiro beijo eu vomitei, no segundo beijo meu rosto desapareceu No terceiro beijo, seu rosto desapareceu, mas aquela dança do primeiro, segundo e terceiro beijo cativou e o inconsciente dele fugiu, deixou apenas o consciente e como ele é o todo poderoso resolveu gargalhar de mim. Estou tendo um orgasmo neste exato instante, ele beijou os meus seios, não tirou o sutiã e de novo ele fugiu! Não sei o que sinto exatamente, não sei se quero dançar como ele dança, porque seus passos me deixam confusa. Eu fico excitada, mas sei lá eu vomitei no primeiro beijo e a porra dele é fluorescente, nunca tinha visto uma porra fluorescente... Ele voltou, deitou ao meu lado e começou a beijar a minha nuca, ele percebeu que eu estava fria e resolveu ficar no meu sonho todo. Ele tentou e tentou, mas não conseguiu nada, eu permaneci fria. Passou-se três semanas e o inconsciente dele voltou mais claro, livre e disposto a ficar comigo. Eu não vomitei, eu sorri. Comecei a beijar seus olhos, sua nuca, suas orelhas... Fiquei em pé, tirei meu sutiã, me aproximei e encostei meus seios em seu rosto e pela primeira vez eu vi o seu olhar, frio e indeciso. O inconsciente e consciente desapareceram, fiquei eu a me masturbar. Só ficava pensando e desejando que ele voltasse, ele voltou e falou comigo. Perguntou: o que você quer comigo? Eu respondi que não sabia. Ele disse: Estou impaciente. Eu disse: mas você me estuprou. Ele se assustou: mas eu nem encostei em você. Eu respondi: você tem certeza? Ele de novo: mas de que estrupo você está falando?! Você é virgem?!. Eu acordei. Minha dança é sentir ânsia de vômito, ele quase conseguiu... Me deixou com a maldita ânsia! Recuperei-me porque acordei, se não tivesse acordado, meu remédio seria outro.

(Obrigada pelo soco na barriga, agora sei o que é um livramento.)

Faz  parte do livro de contos: A Vida é uma Atriz Maravilhosa.

Ano 2015

Lu Varello

23 de maio de 2018

Sim mansinho, devagar...


Eu sei, vc chegou devagar, bem mansinho
Permitirei que tu entres.
Não me defenderei mais!
Ajustei o meu desejo junto com meu medo e resolvi misturá-los.
Se doer vai ser por uma boa causa, pois perdoei a discordância de suas mentiras...
Eu simplesmente acordei e percebi, que o jogo da velha era a desesperança que via em mim, cavei em ti, e para ti o absurdo de fingir!
Todo aperto, todo desepero, toda luta,
Foi em vão... Finalmente entendi, que o respeito era um abraço silencioso, ao qual a discussão do não, me fez querer dizer sim.
Digo sim à sua introspecção vazia, ao seu desacordo aos seu desassombro...
Sim mansinho, devagar...

Lu Varello
19 de maio de 2018.

22 de fevereiro


Sangrenta é essa
pequena morte, que te traz
caganeira, dor de
cabeça e vômitos.
Antes de sangrar
Você descobre que chora
e sente raiva!
Ai... Cabeças - Fritas que ficam
Dizendo: “toma um remédi-
nho aê”!
Forças que você tem que
inventar pra continuar...
E seu único desejo é
Ficar largada na cama.
Só isso.
No campo astrológico a lua crescente traz
Possibilidades de prosperidades e muitas realizações.
Só que não estão entendendo eu estou tendo uma pequena morte aqui!
Eu tô fraca e sempre
Tenho que colocar uma
Toalha preta na minha cama!
É o meu luto mais real.

Lu Varello

22/02/2018.

28 de março de 2018

Cuidar, cuidar e cuidar... AMAR


Cuidar, cuidar e cuidar...
Seus pais vão voltar a ser crianças, essa é a estimativa mais "natural", pois eu já vi o contrário.
Vi minha tia sendo cuidada pela minha vó. Dando banho, comida... E enterrando a própria filha. Sabe aquela história da matemática... A ordem dos fatores não altera o  produto, bem... Não funciona na vida não. Não há receita, simplesmente, paciência e muito amor, porque às vezes cansa. 
- Quê que eu posso fazer pra você não sentir dor?
-Segura a minha mão.

18 de fevereiro de 2018


A minha TPM me faz chorar, eu fico também raivosa de um jeito que não entendo.
As objetificações  surgiram no seu ponto mais alto: A SOLIDÃO!
O grito é calmo, sim é calmo!
Não reclamo mais, pelo menos eu tento.
É glorioso o sorriso e o abraço. É uma linda benção.
Digressões, de notas que se escrevem puramente, na matemática.
Eu queria somar e somar... O infinito, mas querem dividi-lo, não sei como?!... Mas sopraram no meu ouvido, que dá! Achei estranho, pois grupos inteiros dizem que o amor é compartilhado. Na verdade eu queria  tá rimando um verso, uma nova música... Mas sai tudo desfigurado, que nem o meu coração nesse exato momento, que tá TPM e vive em ciclos distantes e pertos de explosões vulcânicas, amorosas e doentias.

23 de novembro de 2017

O ceticismo é Glorioso!

A armadura que criei é desconhecida de mim.
O ceticismo é Glorioso!
Ainda bem que gosto dele, pois tenho que trabalhar
1 milhão de vezes para acreditar.
Guardadas as devidas não proteções, caminhamos bem...
O segredo bem guardado é verdadeiro e não mente.
O segredo bem guardado...
Mudou todos os capítulos e acrescentou a grade.
Falávamos de acordos, acordantes, para se dormir melhor.
Mas o sentido foi carimbado e a armadura desfigurou-se...

12 de setembro de 2017

RAINHA DOS RAIOS

Não é medo do poder, não mesmo. Minha relação com ele é de cumplicidade, quando eu tô no palco eu tenho poder. Eu simplesmente deixo ele quieto. E meu andar conversa com o céu e com o vento. Eu respeito os sinais e o vento acabou de tocar a minha pele. Tudo balança, a pequena palmeira balança... Eu troco de lugar e decido se as folhas caem ou não.

Escolhida pelo céu azul que me deixa flutuar.

É distraída que eu ando, pode parecer loucura!

Eu converso com o céu e digo: tá tudo bem, pode levantar essas árvores e movimentá-las
Pode... Deixar que suas raízes se grudem e girem, girem e girem...

Voltei e esse sol não me deixa quieta!