29 de julho de 2014

Olhos de Lodo.

Carlos tinha olhos verdes musgo, olhos de lodo, “lindos de viver”!
Foi descoberto no chão, literalmente. Refutava diariamente sua presença naquele lugar frio, sujo... Vivia no meio da calçada da praça, a Praça do Passeio, centro histórico do “querido Rio”, onde milhares de pessoas “passeavam” diariamente deixando suas sobras, Carlos se alimentava de suas sobras... Aquelas que ninguém dava importância, sobras que deixavam Carlos importante e encardido.
 

E a história continuará ou não...

Todos nós estamos calados, omissos e permissivos com o nosso próprio umbigo. 

18 de julho de 2014

INFERNO INDUSTRIAL PADRONÁTICO



Sério! Estou deprimida, apenas um pouco...  Tô na dúvida, eu posso ficar em dúvida!!! Porque beleza, feiúra, magreza, gordura... Ufa! Tô meio cansada de ver isso tudo, ouvir isso tudo, sentir isso tudo. Séeeeeerio!!!
Eu to na área onde somos obcecados por essas questões, ah! Já ia me esquecendo da famigerada PER-FEI-ÇÃO!  Essa que rodeia, melhor sufoca, e às vezes mata, nossa saúde, amor próprio, porque “criamos amor próprio” baseados nesse ciclo vicioso, que fazemos parte, e não venha me dizer que você é seguuuro ou seguuura com seu corpo, porque na primeira oportunidade, aquela que você comeu mais do que devia... Uhmmm engordei uns quilinhos a mais só nesse brigadeiro, e aí vem a culpa, aquela que vem acompanhada da (REPETINDO) famigerada desejosa PER-FEI-ÇÃO! Tá você já leu, já ouviu, e já te disseram: “ mas você precisa se amar, precisa amar o seu corpo do jeitiiiinho que ele é, mas repetindo o que eu escrevi a duas linha atrás, a PORRA da culpa  por ter exagerado no brigadeiro é E-TER-NA, e por favor não me venha com discurso de auto ajuda, porque já li todos e já ouvi todos ( rsrsrsrsr) Eu apenas estou questionando esse INFERNO INDUSTRIAL PADRONÁTICO, porque eu e você vivemos nesse inferno, e  produzimos esses padrões das comparações: melhor que, menor que, e assim sucessivamente... De tempos em tempos morremos, sério! Sendo zumbis criamos padrões de beleza, pro cabelo, pele,estilo... Rubrica (TONTA).
Faço parte do sistema, não há dúvida, por isso que vou dá um tempo nessa historinha criada por nós, nesse inferno industrial. Pô! cansei de ver revistas, com apenas mulheres magras (90%), AAAah e em um detalhe, a maioria é LOOOURA, ou seja NÃO dá pra competir, porque criamos o sistema, e ele está enraizado, está nas nossas entranhas. Eu posso estar com um discurso pessimista, talvez eu esteja, mas CA-RA, as magras sempre vencem, e eu fico absurdamente, querendo entender em que ponto iremos chegar? Qual final...?
Esse INFERNO INDUSTRIAL PADRONÁTICO é desonesto e sinceramente, talvez eu não consiga viver sem ele...