27 de janeiro de 2015

amor na gaiola

Ah o amor, o tema mais falado do UNIVERSO. Sério o tema mais contraditório, resoluto, obstinado... E finalmente encantador.
Quem não se encanta pelo amor, quem de alguma maneira não gostaria de colocar o amor dentro de uma gaiola? Uns vão dizer, amor na gaiola?! Como assim? Não pode! Tá, mas nos dias de hoje, ele até que poderia ficar um pouquinho na gaiola, né? Já que ele está livre, e mesmo assim...
Amor, tu és  um encanto, mas como pode ser tão perseguido?  Já que és “livres” ou tu não és? Tu deverias fazer sorrir os descrentes, acredite Amor, você não existe para eles.

Agora, fiquei na dúvida, tu existes?  Tô escrevendo sobre você e me bateu uma dúvida. Me perdoe, eu não queria te magoar. Tudo bem, eu aceito a D.R. Vamos conversar, olha eu disse que tinha dúvida, mas eu errei todo mundo erra, eu não te trai, eu JURO! Eu só dei uma olhadinha para o vazio, e descobri que você também está lá.

360º



A coruja me visitou, pequena, linda. Como eu amo a coruja. Ela subiu a ribanceira com medo, ela desceu a ribanceira com medo, ela simplesmente estava assustada com a Serra das Araras! Eu não senti angústia nenhuma, porque não tenho medo das Araras, elas são tão lindas! A coruja girou 360° eu não sei o que é girar 360°, não me compete, na verdade me desestabiliza. Como a imperfeição faz parte, eu acredito, que a viagem foi adiada, é ela foi adiada. Ela só queria me ver, dar um giro de 360° e falar pra mim que eu não giro a cabeça, mas que eu giro o dedo, e ele muda de direção.

16 de janeiro de 2015

Sorrio porque sei que é lindo...



Eu ouvi, percebi, digeri, mas não engoli! Eu não engoli, eu não consigo engolir!!! Minha vida está no fio da navalha, não só a minha, mas da multidão ao meu redor, pois sou acompanhada, pisoteada, odiada e principalmente amada, por ela. Essa história de “Ser e Verdade”. Tenho que parar, mas... Viciei. Sorrio  porque sei que é lindo, e por ser lindo ninguém enche o meu saco! Boa artimanha pra quem não entende e tomou a decisão de não querer entender mais! Por favor, me deixe viver.