16 de dezembro de 2015

Joguei pra o UNIVERSO
a sabotagem que não quero
ouvir
Dissidente e arrogante deslumbrou
meu consenso e dormiu na
cama de pulgas.
Pequenos choques elétricos que sinto
no meu cocuruCo. Reações do
secreto.
Joguei para o UNIVERSO
a dança imaculada da fome sem
cálculos. Fugi e só agora
dormi de novo. Sono pitoresco e
grave em um colchão tão duro
que me fez gritar de remorso.
Joguei para o UNIVERSO
e não lamentei mais a discordância
dos nós e eus e seus.