26 de agosto de 2016

Ao (des)espero


Palavras curtas
querendo desafogar.

Armas em punho!
Por favor, atire em mim!
Por favor, desobedeça e sufoque
esse desconforto que te oprime
Ah!
Já não sabem...
Mas dormem

Por favor.

e eu descubro as flores
escondidas no seu desencanto
desamor

Dei chances, gritei, mas
Você só usa palavras curtas
 e o meu desespero percorreu
todo percurso falatório
do achado mais puro,
Meu amor.