12 de setembro de 2017

RAINHA DOS RAIOS

Não é medo do poder, não mesmo. Minha relação com ele é de cumplicidade, quando eu tô no palco eu tenho poder. Eu simplesmente deixo ele quieto. E meu andar conversa com o céu e com o vento. Eu respeito os sinais e o vento acabou de tocar a minha pele. Tudo balança, a pequena palmeira balança... Eu troco de lugar e decido se as folhas caem ou não.

Escolhida pelo céu azul que me deixa flutuar.

É distraída que eu ando, pode parecer loucura!

Eu converso com o céu e digo: tá tudo bem, pode levantar essas árvores e movimentá-las
Pode... Deixar que suas raízes se grudem e girem, girem e girem...

Voltei e esse sol não me deixa quieta! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário